No items found.
Como as organizações se relacionam com o governo? O caso do Sindepat
Publicado:
25/2/2019 21:00

Articulações do Sindepat miram alavancar o setor turístico no Brasil

O número até impressiona à primeira vista. Em 2017, segundo dados oficiais, o Brasil recebeu 6.588.770 turistas estrangeiros. Mas é só começarem as comparações para perceber que o número está aquém do potencial. A primeira comparação é com o ano anterior. O crescimento foi de menos de 1% em um ano em que o turismo mundial cresceu 6%, segundo a Organização Mundial do Turismo.

O Brasil passa longe da lista dos 25 países mais visitados e dezenas de cidades pelo mundo recebem mais gente do que todo o nosso País. “O turismo no Brasil é subaproveitado. Ele nunca foi visto como uma importante fonte de geração de emprego, renda e desenvolvimento econômico. Espanha, Portugal e Grécia, por exemplo, saíram de graves crises econômicas apostando no turismo como pilar. O Brasil nunca teve esse olhar”, explica Carolina Negri, diretora-executiva do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat).

Sindepat

Criado em 2003 como resultado da união dos principais parques temáticos e atrações turísticas no Brasil, o Sindepat conta atualmente com 36 associados, de oito estados. O principal objetivo é representar e defender os interesses do setor. Com esse trabalho, toda a cadeia se beneficia, inclusive a sua ponta final: o visitante.

Em 2018, os associados do Sindepat (parques temáticos, aquáticos e atrações turísticas) receberam cerca de 18 milhões de visitantes. Em muitos casos, os locais são a principal atração turística da região. “De acordo com a Secretaria de Turismo do Ceará, 50% dos visitantes de Fortaleza são atraídos por causa do Beach Park, assim como muitos visitantes vão à região de Penha, em Santa Catarina, por conta do Beto Carrero World. Isso sem contar os inúmeros parques e atrações que compõem importante ativo para o turismo em diversas regiões do país. Ou seja, são atrações que se tornam um fator de desenvolvimento econômico e social, impulsionando toda a região.”

Agenda

No horizonte algumas sinalizações positivas apontam para um possível ciclo virtuoso nos próximos anos. Uma delas é resultado de um pleito iniciado em 2017 junto aos Ministérios do Turismo e de Indústria e Comércio e que teve uma vitória parcial no fim do ano passado.

O setor pleiteia a isenção do imposto de importação sobre equipamentos para os parques. Mesmo sem fabricação nacional, a taxa é de 20%. O Sindepat obteve a inclusão desses produtos no regime de ex-tarifário. Com essa janela temporária aberta, o que incluiu uma análise criteriosa dos ministérios, os produtos serão isentos por dois anos. “Com isso, o setor deve ter um importante avanço. Os empresários têm sinalizado interesse em promover ampliação de seus empreendimentos já existentes e os investidores em novos empreendimentos”, conta Carolina.

Outra demanda, que também está sendo monitorada de perto envolve a atualização da Lei Geral do Turismo. Pontos como a definição correta de parques, por exemplo, são importantes para equalizar a base de cálculo do PIS/COFINS. “Hoje a receita advinda de ingressos e outras receitas, como alimentos e bebidas ou aluguel de boias, seguem diferentes bases de cálculo. Contudo, o parque é um complexo único, com várias prestações de serviços dentro dele. Nosso desafio é para que a base de cálculo seja a mesma.”

Além disso, Carolina vê com otimismo a sinalização do novo governo de trabalhar com a concessão dos parques nacionais e de azeitar outros pontos de fomento ao turismo como o visto eletrônico para outros países. Esses pontos combinados com a inclusão no ex-tarifário contribuem para um clima de confiança entre fornecedores e os principais players do mercado. “São mudanças lentas que envolvem vários ministérios, mas que são importantes para avançarmos cada vez mais.”

Tags
Não encontrada

Artigos Relacionados

Fundada em 2016, acreditamos na democracia. Acreditamos que todos os grupos da sociedade podem e devem participar das decisões políticas. Nossa missão é entregar tecnologia para que os mais diversos grupos sociais e econômicos possam monitorar e influenciar as decisões Governamentais.

Insights e conteúdos exclusivos.
Inscreva-se:

Obrigado! Seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Algo deu errado, tente novamente.

Contato

contato@sigalei.com.br
+55 (16) 3032-3979
R. Conde do Pinhal, 1762
Centro
São Carlos-SP
13560-648

QUEM SOMOSPRODUTOSSOLUÇÕESSUPORTECONTATOLOGINPOLÍTICAS DE PRIVACIDADE