Artigos
Relações governamentais: como entender o cenário político com dados?
Autor:
Nayara Cortez
Publicado:
26/8/2021 15:50
C

omo o cenário político afeta uma empresa ou um setor econômico? 

Como entender os sinais que o ambiente político mostra e que podem auxiliar na construção de melhores estratégias de atuação?

Compreender o que acontece na esfera política e que pode impactar os negócios é o ponto de partida para uma interlocução eficiente entre público e privado. Existem dados que sustentam estratégias de relações institucionais e governamentais, veja abaixo.

A todo momento decisões tomadas por agentes públicos geram impactos, diretos e indiretos, para organizações e que podem significar efeitos benéficos ou prejudiciais. Fato é que, de um jeito ou de outro, a política influencia diariamente no modo como sua instituição realiza as atividades.

Dessa forma, as ações que acontecem no meio político estão diretamente relacionadas à continuidade de um negócio, ao desenvolvimento de ações do terceiro setor ou, até mesmo, na estabilidade e vivência de uma parcela da população. 

As diversas variáveis que compõem a construção de uma narrativa política, colocam, como peças-chave profissionais de relações institucionais e governamentais que interpretam o ambiente externo (que, no geral, envolve ações que acontecem no âmbito dos  três Poderes - Executivo, Legislativo e Judiciário) e traduzem o que isso significa para o ambiente interno de uma organização. É um trabalho complexo, mas essencial para a construção de uma estratégia alinhada.

Política entre o formal e o informal

Existem espaços no qual o processo político é estabelecido e ocorre conforme regimentos e diretrizes específicas do setor público, gerando produtos ou serviços institucionais e formais. Como é o caso das Casas Legislativas que funcionam dentro de um padrão estabelecido (legislatura, processos, regimento interno) e produzem leis ou das Prefeituras que funcionam conforme uma lógica de administração pública e implementam as leis, por exemplo. 

Neste espaço formal da política é muito comum que a defesa de interesses aconteça de forma mais direta e próxima dos principais ritos e atores. Não é à toa que lobistas estão sempre presentes, participando de audiências, fazendo a interlocução com stakeholders-chave, apresentando seus estudos e demandas setoriais aos tomadores de decisão. 

Por outro lado, novos espaços de discussão e influência política surgem com o mundo  digital e trazem outras dinâmicas, mais informais, e que afetam os rumos dos debates e decisões da política formal. Como é o caso das mídias, como redes sociais, que são utilizadas tanto por cidadãos, empresas ou políticos para defender causas e pressionar para que ações sejam tomadas em determinados contextos. Outro exemplo é da imprensa que veicula sua percepção em determinados  momentos políticos.  

No fim, a política acaba sendo composta pelas nuances das negociações e pressões que ocorrem dentro do processo formal e do informal e que buscam equilibrar os interesses envolvidos em um tema. O importante é nunca perder a dimensão dos benefícios da transparência das ações, do acesso e compartilhamento de informações, dos relacionamentos éticos que reforçam a política democrática.  

Este novo arranjo no tabuleiro do jogo político é mais abrangente e complexo.  E para ter uma compreensão de como essas duas esferas da política se conectam, a utilização de dados públicos integrados aos dados de mídias e redes sociais, e combinados com informações estratégicas da organização, permitem enxergar além de identificar novas possibilidades de ações e relacionamentos estratégicos para alcançar um objetivo dentro da defesa de interesses. 


Tipos de dados para compreender o cenário político

Os dados podem ser utilizados para confirmar ou repensar as percepções sobre o cenário político e evidenciam o porquê uma organização deve ou não se preocupar com um tema da esfera política.  

Contudo, apenas a coleta dos dados pode ser insuficiente para uma análise mais assertiva de como o cenário político pode afetar uma organização. Por isso, é preciso organizar estes dados e realizar cruzamentos para identificar as informações relevantes e que, de fato, vão demonstrar os riscos ou oportunidades envolvidas dentro de uma tema ou issue relevante.  

Abaixo listamos algumas fontes de dados e informações que os profissionais de RIG podem utilizar para sustentar suas estratégias de atuação com o setor público e saber com maior clareza o que está acontecendo no âmbito político. 

1. Dados do Legislativo

  • Congresso Nacional, Câmara e Senado
  • Assembleias Estaduais e Municipais

2. Dados do Executivo 

  • Diários Oficiais
  • Agências Reguladoras
  • Ministérios

3. Dados do Judiciário e Ministério Público 

  • STF e Tribunais 

4. Dados da Mídia  

  • Imprensa
  • Redes Sociais

Nestas fontes, que estão relacionadas com esferas formais e informais da política, é possível obter dados para utilizar no monitoramento e gestão de temas e, também, para o acompanhamento e engajamento de stakeholders.

Sigalei Dados para Relações Governamentais

A Sigalei transforma dados em conhecimento político automatizando o monitoramento de Projetos de Lei, Diário Oficial da União e facilitando a Gestão e Mapeamento de Stakeholders para empresas e associações. Clique para falar com os especialistas Sigalei e melhorar sua estratégia.
Tags
Inteligência Política
Gestão de Risco Político
Relações Institucionais e Governamentais
RelGov
RIG

Artigos Relacionados

Fundada em 2016, acreditamos na democracia. Acreditamos que todos os grupos da sociedade podem e devem participar das decisões políticas. Nossa missão é entregar tecnologia para que os mais diversos grupos sociais e econômicos possam monitorar e influenciar as decisões Governamentais.

Insights e conteúdos exclusivos.
Inscreva-se:

Obrigado! Seu cadastro foi efetuado com sucesso!
Algo deu errado, tente novamente.

Contato

contato@sigalei.com.br
+55 (16) 3032-3979
R. Conde do Pinhal, 1762
Centro
São Carlos-SP
13560-648

QUEM SOMOSPRODUTOSSOLUÇÕESSUPORTECONTATOPOLÍTICAS DE PRIVACIDADE